II Congresso Internacional de Eletrofisiologia para Audiologia

A avaliação dos potenciais eletrofisiológicos auditivos está ganhando cada vez mais espaço na audiologia em todo o mundo.Testes objetivos, precisos e rápidos com testes clínicos com aplicações em populações diversara, desde crianças a idosos por meio de grupos específicos são realilzados por profissionais tanto em países desenvolvidos quanto em desenvolvimento. Esses testes ajudam não só a diagnosticar, mas também a compreender os processos neurofisiológicos da audição envolvidos em cada uma das condições de pesquisa.

No Brasil, congressos tradicionais como o Encontro Internacional de Audiologia (EIA) reservam cada vez mais espaço em seu arcabouço científico para assuntos, de forma direta e indireta, relacionadas ao tema Eletrofisiologia. O crescimento da área é o resultado do avanço da pesquisa nacional, mas, sobretudo, do aumento do interesse de fonoaudiólogos e pesquisadores e da infinidade de aplicações clínicas disponíveis.

A indústria de equipamentos para diagnóstico eletrofisiológico, alinhada com a crescente demanda e visando atender às expectativas do mercado, investe substancialmente em pesquisas, desenvolvimento de novas tecnologias e formação de profissionais da área.

O Nordeste, por meio da Rede Nordeste de Biotecnologia (RENORBIO) e do Programa Associado de Pós-Graduação em Fonoaudiologia (PPGFON – UFPB/URFN/UNCISAL) , com base nas políticas específicas de incentivo da região e das relações com universidades como USP, UNIFESP, UNESP e UFMG, entre outras, vem avançando e mostrando à comunidade a capacidade científica para cooperar na construção de conhecimentos em diversas áreas, incluindo Audiologia e mais especificamente a Eletrofisiologia da Audição.

Neste ambiente extremamente favorável, e também de um lastro e experiência anterior de sucesso, obtida através da organização, em 2017, do 1º Congresso Internacional da Microcefalia e da Audição, Alagoas surge no cenário nacional com uma proposta concreta de agregar valor à produção e divulgação científica. Assim nasceu o Congresso Internacional de Eletrofisiologia para Audiologia (I CINEA) em 2019. Agora, antenados com as mudanças globais, o II CINEA (2021) e o III CINEA (2022) surgem para continuar a expansão da área e contribuir mais efetivamente para a formação das pessoas e, em última análise, na melhoria na qualidade de vida da sociedade.

  • Ser referência na Região Nordeste, atraindo públicos do Brasil e exterior.

  • Aprimorar a produção científica, premiando os melhores trabalhos.

  • Integrar acadêmico, mercado e indústria.

  • Promover a divulgação científica baseada na cooperação, inovação, geração de novos conhecimentos e desenvolvimento de novos produtos.

  • Proporcionar um ambiente favorável para a aproximação e celebração de parcerias entre academia e indústria

  • Incentivar a melhoria da qualidade da produção científica e tecnológica do país.

  • Estimular a cooperação científico-acadêmica entre instituições do Brasil e do exterior

  • Estimular a integração entre docentes, pesquisadores, alunos de pós-graduação e de graduação.

Palestrantes nacionais e internacionais estão sendo convidados pela notoriedade da área, a partir das publicações existentes e inseridos nas seguintes linhas de pesquisa:

  • Eletrofisiologia e Prevenção/Promoção da Saúde Auditiva

  • Diagnóstico Audiológico e Reabilitação (Auditiva)

  • Saúde Pública

  • Infectologia

  • Neurologia

  • Impactos da COVID-19 no sistema auditivo

  • E outros tópicos de ponta na área

Instituições Representadas

O evento será realizado on-line (2021) e presencial em Maceió-AL (2022) com a participação de instruções de ensino superior brasileiras:

  • Universidade de Ciências da Saúde de Alagoas – UNCISAL
  • Universidade Federal de Alagoas
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Universidade Federal da Paraíba
  • Universidade Federal de Pernambuco – UFPE
  • Universidade Estadual Paulista – UNESP

Comissão Organizadora

Dr. Pedro de Lemos Menezes – UNCISAL / CESMAC / UFAL
Dra. Aline Tenório Lins Carnaúba – UNCISAL / CESMAC
Dra. Kelly Cristina Lira de Andrade – UNCISAL / CESMAC
Dra. Ana Claudia Figueiredo Frizzo – UNESP
Dra. Adriana Ribeiro Tavares Anastasio – USP
Dra. Denise Menezes – UFPE
Dra. Karina Paes Advíncula – UFPE
Dra. Silvana Griz – UFPE
Dra. Hannalice Gottschalck – UFPB
Dra. Sheila Balen – UFRN

Público

O evento já conta com inscritos de 18 estados, de norte a sul. A maior adesão é do Nordeste, seguido por São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Rio Grande do Sul e Distrito Federal. O público-alvo é o profissional que realiza pesquisa e / ou prática clínica de Audiologia, ensino e intervenção abrangendo as diversas regiões do Brasil fora, e América Latina. O evento também vai beneficiar profissionais de outras áreas da saúde, além de profissionais da educação. Também será aberto a representantes legais de entidades ligadas ao atendimento à pessoa com deficiência e a outras áreas relacionadas ao atendimento à pessoa com deficiência auditiva, já que o CINEA é o primeiro evento regular internacional da área de Audiologia com foco exclusivo em eletrofisiologia no Brasil