II Congresso Internacional de Eletrofisiologia para Audiologia

A avaliação dos potenciais eletrofisiológicos auditivos está ganhando cada vez mais espaço na audiologia em todo o mundo.Testes objetivos, precisos e rápidos com testes clínicos com aplicações em populações diversara, desde crianças a idosos por meio de grupos específicos são realilzados por profissionais tanto em países desenvolvidos quanto em desenvolvimento. Esses testes ajudam não só a diagnosticar, mas também a compreender os processos neurofisiológicos da audição envolvidos em cada uma das condições de pesquisa.

No Brasil, congressos tradicionais como o Encontro Internacional de Audiologia (EIA) reservam cada vez mais espaço em seu arcabouço científico para assuntos, de forma direta e indireta, relacionadas ao tema Eletrofisiologia. O crescimento da área é o resultado do avanço da pesquisa nacional, mas, sobretudo, do aumento do interesse de fonoaudiólogos e pesquisadores e da infinidade de aplicações clínicas disponíveis.

A indústria de equipamentos para diagnóstico eletrofisiológico, alinhada com a crescente demanda e visando atender às expectativas do mercado, investe substancialmente em pesquisas, desenvolvimento de novas tecnologias e formação de profissionais da área.

O Nordeste, por meio da Rede Nordeste de Biotecnologia (RENORBIO) e do Programa Associado de Pós-Graduação em Fonoaudiologia (PPGFON – UFPB/URFN/UNCISAL) , com base nas políticas específicas de incentivo da região e das relações com universidades como USP, UNIFESP, UNESP e UFMG, entre outras, vem avançando e mostrando à comunidade a capacidade científica para cooperar na construção de conhecimentos em diversas áreas, incluindo Audiologia e mais especificamente a Eletrofisiologia da Audição.

Neste ambiente extremamente favorável, e também de um lastro e experiência anterior de sucesso, obtida através da organização, em 2017, do 1º Congresso Internacional da Microcefalia e da Audição, Alagoas surge no cenário nacional com uma proposta concreta de agregar valor à produção e divulgação científica. Assim nasceu o Congresso Internacional de Eletrofisiologia para Audiologia (I CINEA) em 2019. Agora, antenados com as mudanças globais, o II CINEA (2021) e o III CINEA (2022) surgem para continuar a expansão da área e contribuir mais efetivamente para a formação das pessoas e, em última análise, na melhoria na qualidade de vida da sociedade.

  • Ser referência na Região Nordeste, atraindo públicos do Brasil e exterior.

  • Aprimorar a produção científica, premiando os melhores trabalhos.

  • Integrar acadêmico, mercado e indústria.

  • Promover a divulgação científica baseada na cooperação, inovação, geração de novos conhecimentos e desenvolvimento de novos produtos.

  • Proporcionar um ambiente favorável para a aproximação e celebração de parcerias entre academia e indústria

  • Incentivar a melhoria da qualidade da produção científica e tecnológica do país.

  • Estimular a cooperação científico-acadêmica entre instituições do Brasil e do exterior

  • Estimular a integração entre docentes, pesquisadores, alunos de pós-graduação e de graduação.

Palestrantes nacionais e internacionais estão sendo convidados pela notoriedade da área, a partir das publicações existentes e inseridos nas seguintes linhas de pesquisa:

  • Eletrofisiologia e Prevenção/Promoção da Saúde Auditiva

  • Diagnóstico Audiológico e Reabilitação (Auditiva)

  • Saúde Pública

  • Infectologia

  • Neurologia

  • Impactos da COVID-19 no sistema auditivo

  • E outros tópicos de ponta na área

Instituições Representadas

O evento será realizado on-line (2021) e presencial em Maceió-AL (2022) com a participação de instruções de ensino superior brasileiras:

  • Universidade de Ciências da Saúde de Alagoas – UNCISAL
  • Universidade Federal de Alagoas
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Universidade Federal da Paraíba
  • Universidade Federal de Pernambuco – UFPE
  • Universidade Estadual Paulista – UNESP

Comissão Organizadora

Dr. Pedro de Lemos Menezes – UNCISAL / CESMAC / UFAL
Dra. Aline Tenório Lins Carnaúba – UNCISAL / CESMAC
Dra. Kelly Cristina Lira de Andrade – UNCISAL / CESMAC
Dra. Ana Claudia Figueiredo Frizzo – UNESP
Dra. Adriana Ribeiro Tavares Anastasio – USP
Dra. Denise Menezes – UFPE
Dra. Karina Paes Advíncula – UFPE
Dra. Silvana Griz – UFPE
Dra. Hannalice Gottschalck – UFPB
Dra. Sheila Balen – UFRN

Comissão Científica

Adriana Ribeiro Tavares Anastasio (SP)
Ana Luiza Luiz (SP)
Brenda Karla da Cunha (RN)
Hannalice Gottschalck Cavalcanti (PB)
Ilka Soares (AL)
Karoline Lima (SP)
Luciana Castelo Branco (AL)
Maria Cecília Marques (AL)
Milena Sonsoni (SP)
Mônika Rocha (PE)
Monique Ramos Paschoal Dutra (RN)
Natalia Pinheiro (AL)
Ranilde Costa (AL)
Renan Dantas Aires Guimarães (PB)
Sheila Andreoli Balen  (RN)
Thaís Nobre (AL)
Vanessa Vieira Farias (AL)
Viviane Borim (SP)
Yara Bagali (SP)

Público

O evento já conta com inscritos de 18 estados, de norte a sul. A maior adesão é do Nordeste, seguido por São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Rio Grande do Sul e Distrito Federal. O público-alvo é o profissional que realiza pesquisa e / ou prática clínica de Audiologia, ensino e intervenção abrangendo as diversas regiões do Brasil fora, e América Latina. O evento também vai beneficiar profissionais de outras áreas da saúde, além de profissionais da educação. Também será aberto a representantes legais de entidades ligadas ao atendimento à pessoa com deficiência e a outras áreas relacionadas ao atendimento à pessoa com deficiência auditiva, já que o CINEA é o primeiro evento regular internacional da área de Audiologia com foco exclusivo em eletrofisiologia no Brasil